Francisco Marques Poeta
Prosas & Poesias (Ensaios, Frases, Trovas, Sonetos, Acrósticos e Algo Mais)
Capa Textos Áudios E-books Fotos Perfil Livros à Venda Prêmios Livro de Visitas Contato
Textos
O Espinho da Rosa II
 

Tu que foste uma rosa indiferente
que nasceu, por acaso, em meu jardim
floresceu tão vistosa e de repente,
mas sequer forneceu amor pra mim.

Muito, embora vivesse do meu lado,
meu amor simplesmente jamais quis.
Mas teimei em viver tão encantado
que pensei muitas vezes ser feliz.
 
Eis a flor que só fez matar meu sonho
que nasceu sem querer junto com ela
e cresceu sem contar com seu encanto:
 
Um amor que se fez desse tamanho
que viveu por viver – sem aquarela –
e morreu sem a flor, sofrendo tanto.
 

◄ Início | Próximo ►
Francisco Marques Poeta
Enviado por Francisco Marques Poeta em 31/07/2020
Alterado em 31/07/2020
Comentários